Saúde alerta sobre a vacinação contra o sarampo.

Saúde alerta sobre a vacinação contra o sarampo

- Saúde alerta sobre a vacinação contra o sarampo.

Nos últimos anos, o Brasil tem vivido algumas ameaças já superadas em relação a algumas doenças imunopreveníveis. Segundo o Ministério da Saúde, eles estão relacionados à importação de casos de outros países. A não realização das vacinas necessárias, por uma grande parcela da população no Brasil contribui para a disseminação da doença.

Na última atualização do Ministério da Saúde nesta terça-feira (17), o número de casos de sarampo no Brasil: foram 677 casos até esta terça-feira (17) nos Estados: Amazonas, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O número de casos em investigação chegou a 2.724.

O Ministério da Saúde acredita que vá conseguir controlar os surtos, mas alerta que o aumento das taxas de vacinação é importantíssimo para garantir o controle da doença. Juntamente com o sarampo, o país também está atento à circulação e às baixas coberturas vacinais da poliomielite.

Segundo a Diretora de Vigilância em Saúde do município, Nelcelí Garcia, em Fazenda Rio Grande, as metas encontram-se dentro do esperado, mas devemos manter monitorados os índices de coberturas vacinais.

“Não podemos descuidar em relação a doença, uma vez que é muito fácil a transmissão, que ocorre por conta do vírus se desenvolver facilmente na boca e no nariz, o que faz com que, após espirros ou tosses ele fique no ar, e outra pessoa acabe se infectando.”

De 6 a 31 de agosto acontece em todo Brasil a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo. A campanha é voltada exclusivamente às crianças com idade entre 12 meses e 4 anos, incluindo as que já receberam as vacinas anteriormente. O Dia D da campanha está marcado para 18 de agosto; todas as Unidades de Saúde de Fazenda Rio Grande estarão abertas das 8 às 5h para atender a população. A meta é vacinar ao menos 95% das crianças dessa faixa etária. Não será realizada uma campanha de vacinação contra sarampo voltada para adultos. A recomendação é que as pessoas com até 29 anos de idade tenham em sua caderneta 2 doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Já quem tem entre 30 e 49 anos deve ter na caderneta de vacinação 1 dose da vacina tríplice viral. Se a pessoa não tiver tomado as doses recomendadas, ou não souber se tomou ou não, a recomendação é procurar uma unidade de saúde para receber orientações.

O secretário de Saúde Rejomar Andrade lembra que além da vacina contra o sarampo, há outras que os adolescentes e adultos precisam tomar, como contra hepatite B, tétano, difteria e febre amarela que são doenças infecto- contagiosas que podem ser prevenidas com a vacinação.

“As vacinas estão disponíveis à população em todas as 11 Unidades de Saúde e são gratuitas, fornecidas pelo SUS”, afirma o secretário.

Os sintomas do sarampo são:

Febre acima de 38º C;

Dor de garganta e tosse seca;

Dor muscular e cansaço excessivo;

Manchas vermelhas na pele, sem relevo, que se espalham pelo corpo;

Pontinhos brancos no interior da bochecha;

Manchas vermelhas na pele que não coçam;

Vermelhidão nos olhos.

O sarampo é uma infecção viral que afeta, principalmente, bebês durante o primeiro ano de vida. No entanto, a doença também pode acontecer em crianças ou adultos que não tenham feito a vacina contra o sarampo.