Ação Interdisciplinar de Promoção à Saúde Marca Encerramento do Novembro Azul.

Ação Interdisciplinar de Promoção à Saúde Marca Encerramento do Novembro Azul

- Ação Interdisciplinar de Promoção à Saúde Marca Encerramento do Novembro Azul.

Na última sexta-feira, a Secretaria de Saúde encerrou as atividades do Novembro Azul, com uma ação voltada especialmente ao publico masculino.
A ação de encerramento foi desenvolvida em uma construtora do município, pelas Divisões de Vigilância em Saúde e Saúde Mental do município, envolvendo aspectos relevantes à saúde do homem, baseada nos índices de adoecimento e morte precoce entre os homens.
Dados do Ministério da Saúde demonstram que, de cada três pessoas que morrem no Brasil, duas são homens. Embora a expectativa da população masculina tenha aumentado nos últimos anos, ainda se mantém 7,6 anos abaixo da média das mulheres.
Na ocasião, a diretora de Vigilância em Saúde, Nelceli Garcia ressaltou que, os principais problemas que acometem a saúde masculina são, doenças do coração, câncer de pulmão, próstata e de pele, colesterol elevado, diabetes e pressão alta; destacando que destas as causas, a maioria está relacionada ao estilo de vida (tabagismo, sedentarismo, alimentação rica em sal e gorduras animais, estresse não controlado, dentre outros).
A coordenadora de Vigilância em Saúde do Trabalhador, Graciele Batista, pontuou com a equipe de trabalhadores, a importância da redução de sal na alimentação, a pratica de atividades físicas de forma regular, a manutenção ou alcance do peso ideal e a redução da ingesta de alimentos gordurosos.
Abordou-se também pelo psicólogo Daniel Martins, a questão do estado mental/espiritual como determinantes no estado geral da saúde, incentivando a prática de comportamentos e atitudes positivas que ajudam a controlar as emoções e promover o desenvolvimento pessoal e profissional do homem.
A secretária de Saúde, Irani dos Santos, incentivando as ações de prevenção, comentou sobre a importância de incentivar a mudança de hábitos na população masculina.
“Diferente das mulheres, que tratam da saúde desde cedo, os homens não têm o costume de cuidar da própria saúde, realizar consultas e exames preventivamente. Essas ações de conscientização têm sido importantes para tentar reverter este hábito”, afirma.