Ação no transporte coletivo de Fazenda Rio Grande marca o Dia Mundial de Combate à Tuberculose.

Ação no transporte coletivo de Fazenda Rio Grande marca o Dia Mundial de Combate à Tuberculose

- Ação no transporte coletivo de Fazenda Rio Grande marca o Dia Mundial de Combate à Tuberculose.

No último sábado (24) foi celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, e para reforçar a importância da prevenção à doença, na última sexta-feira (23), o Departamento de Vigilância em Saúde foi até a população que utiliza o transporte coletivo municipal alertando a população sobre a doença.  A ação envolveu toda equipe de Vigilância em Saúde que dividiu-se em grupos e adentraram nos ônibus e durante o trajeto “Fazenda-Pinheirinho”, falaram sobre a tuberculose e sua prevenção. A ação teve o objetivo de informar sobre os meios de transmissão, os principais sintomas e orientar quanto à importância do diagnóstico precoce e o tratamento. Também foi abordado a importância da avaliação dos contatos íntimos e/ou cotidianos e os cuidados com a saúde para a manutenção da imunidade. Além das orientações houve também, entrega de material informativo.

Segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Nelcelí Garcia, a ação foi muito positiva, pois houve a interação das pessoas com a equipe de Vigilância, dentre os abordados, 4 sintomáticos foram encaminhados para a realização da coleta de escarro para diagnóstico. “É necessário ficar atento; e em casos de apresentar sintomas, procurar sua Unidade de Saúde; quando a pessoa espera muito tempo, vai transmitindo a doença para outras pessoas”, orientou Nelcelí.

Dados da Organização Mundial de Saúde (ONU), demonstram que o Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 82% do total de casos de tuberculose no mundo. Embora seja uma doença passível de ser prevenida, tratada e mesmo curada, ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas todos os anos no Brasil. Fazenda Rio Grande apresentou em 2017, 19 casos novos. Esse ano, no mês de janeiro foram diagnosticados 5 casos e 1 caso em fevereiro. “Apesar do número aparentemente baixo, considera-se um número elevado, uma vez que a sintomatologia é clássica, o diagnóstico é simples e o tratamento gratuito”,  enfatiza a diretora.

A coordenadora municipal de Epidemiologia, Alexsandra Bispo dos Santos, reforçando sobre a gratuidade do tratamento, explica: “É fundamental que o paciente cumpra o protocolo de seis meses de tratamento. Muitas vezes, com quatro meses de terapia e resultados de acompanhamentos negativos de bacilocospia, o paciente tende a crer que está curado, mas o tempo necessário para garantir a eliminação do bacilo, é de seis meses,” alerta. “Se o paciente não fizer o tratamento completo pode ocorrer duas situações: o bacilo fica mais resistente aos medicamentos e o retratamento tem que ser feito do zero, começar como se nunca tivesse sido tratado antes. Fica mais difícil. Sem contar que o abandono do tratamento aumenta as chances de a pessoa adoecer e continuar infectando outros indivíduos”, finalizou Alexsandra.

O secretário de Saúde Rejomar Andrade, reconhecendo a gravidade da doença e a importância das ações de combate, esteve presente na Ação; lembrando na ocasião, que a tuberculose causa em torno de cinco mil mortes por dia em todo o mundo.

“São mais de 1,6 milhão de pessoas no mundo que perdem a vida todos os anos, para a doença, por isso trabalhamos a prevenção todos os dias e em especial nas datas previstas pelo Ministério da Saúde, garantindo o tratamento dos nossos munícipes do início até o final do tratamento” afirmou.

 




Últimas Notícias